Senadores que massacraram Fachin agora estão nas mãos dele

Compartilhe este texto:

Os tucanos e outros senadores de oposição ao governo Dilma fizeram de tudo para derrubar a indicação do então advogado Luis Edson Fachin, para ministro do STF, na vaga de Joaquim Barbosa. Menos o paranaense Álvaro Dias(PSDB), presidente da CCJ, que fez campanha para a aprovação de Fachin.

A sabatina ocorrida em maio de 2015 teve momentos constrangedores, tal a agressividade dos questionamentos de alguns parlamentares. A arguição passou de 12 horas, sendo a mais demorada da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, em 20 anos.


foto Sul 21

Mas a roda girou e alguns daqueles políticos estão na lista do Janot. E agora?

Naquela época a operação estava com as baterias apontadas para o governo Dilma e os tucanos queriam saber o que ele achava da censura à imprensa, pensando em grandes revelações sobre a presidenta. Fachin disse:

“Não podemos ter censura em nenhuma hipótese”, enfatizou admitindo que acompanhou na imprensa muitas leituras sobre sua pessoa, muitas delas desabonatórias, mas que mesmo assim defende os princípios do Artigo 5º da Constituição, capítulo da Carta Magna que trata das garantias individuais.

Com base nessa resposta acho que o relator da lava-jato no Supremo vai abrir o sigilo de tudo e de todos.


Compartilhe este texto:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *