A estranha mania de limpeza de João Dória

foto: DCM- divulgação Facebook
foto: divulgação Facebook

Acredito que o prefeito de São Paulo tenha mania de limpeza. As atitudes que ele tomou desde que assumiu o cargo e o perfil engomadinho, de pele brilhante, como se tivesse sido lustrada, conferem a João Dória, pelo menos a suspeita de algum transtorno nessa linha.

Talvez ele não saiba a diferença entre sujeira e grafite (uma importante manifestação cultural urbana que comunica a realidade da rua). Na concepção do milionário prefeito a arte popular enfeia a cidade, então ele trata de passar uma tinta cinza por cima, para não ter que ver aquela “sujeira da toda”.

Os grafiteiros protestaram contra o vandalismo ao patrimônio público cultural. Eles viram suas obras serem destruídas e o semblante de satisfação do prefeito. Mesmo assim não o denunciaram por baderna e destruição dos bens culturais públicos.

Foto: Daniel Arroyo/GGN

Talvez Dória não consiga mesmo conviver com o que está fora do seu padrão de arte, habitação, roupas, vida. Ele usou a mesma técnica para retirar dependentes químicos da “Cracolândia. Não avisou ninguém é mandou passar a máquina para desmanchar casas, barracos e despachou os dependentes químicos sem dó ou piedade.

Retiradas à força de seus casebres pela polícia, as pessoas saíram sem rumo, cambaleando pelas ruas como zumbis. Imagens estarrecedoras que correram o mundo e chocaram entidades internacionais de Direitos Humanos.

A Associação dos Juízes para Democracia emitiu nota de repúdio onde considera as ações na Cracolândia:
“manifestamente voltadas à criminalização da pobreza, invisibilização de oprimidos e descarte de indesejáveis”.

O Conselho Federal de Psicologia definiu a ação da prefeitura como “barbárie” e “atrocidade”.

A secretária municipal de Direitos Humanos considerou a ação “desastrosa” e pediu demissão. Na carta entregue à João Dória Patrícia Bezerra disse:
“Diante das dificuldades que tenho enfrentado há algum tempo para dar prosseguimento à agenda de direitos humanos e ao atendimento humanizado à população mais vulnerável de São Paulo, deixo o cargo, mas nunca a convicção em uma cidade que garanta o respeito à pessoa humana”.

O chefe do executivo da maior cidade da América Latina, e uma das maiores do planeta, mandou a máquina derrubar casas velhas e o que tivesse pela frente. Até aí a ação era arbitrária e desumana, mas virou crime de tentativa de homicídio quando derrubaram um imóvel onde funcionava uma pensão com as pessoas dentro.

A milionário que chegou à prefeito de São Paulo ainda não foi denunciado por tentativa de homicídio. Tudo o que se sabe, extraoficialmente, é que João Dória tem em mente um grande empreendimento urbano para o local e que os imóveis serão desapropriados a preço de bananas.

Quanto tempo Temer resistirá?


foto Brasil 247

Michel Temer disse que fica no cargo e não foi surpresa essa decisão. Ele mantêm no governo ministros que são réus e ainda não sabe o conteúdo das gravações, por qual motivo renunciaria? O que não se sabe é por quanto tempo ele resistirá com a mídia querendo eleições indiretas.

Temer disse que fica e o ministro Fachin não autorizou a prisão de Aécio Neves. Parece que esses dois fatos diminuem a letalidade dessa bomba que foi delação dos donos da JBS . Pode ser até que arrumem uma saída diferente para Michel Temer, como uma permanência no cargo para fazer a transição de uma eleição indireta que a mídia tanto quer.

Não merecemos que o atual Congresso, sem as mínimas condições morais, escolha o próximo presidente. Só a eleição direta serve à população brasileira.

Cresce o renuncia Temer e aliados pulam do barco


imagem TV BAND

STF confirma a abertura de inquérito contra o presidente Michel Temer e o renuncia Temer ganha corpo. Os aliados já pulam do barco, caso do ministro das Cidades, Bruno Araújo PSDB. Cresce em Brasília a articulação para a realização de eleição indireta pelo Congresso Nacional, embora o parlamento brasileiro não ofereça a mínima qualificação para o ato.

A mídia já encampou esse formato previsto na Constituição e insiste que as leis devem ser respeitadas, citando manifestações nesse sentido, de FHC e do ministro do STF, Celso de Melo. E qual será o motivo para a mídia não querer que os eleitores escolham o novo presidente do país? Será que isso tem a ver com o fato de Lula liderar todas as pesquisas?

Só a eleição direta pode restabelecer plenamente a democracia, totalmente ameaçada no país, neste momento.

Depois do PSDB o próximo a abandonar o governo deverá ser o DEM. Alguém acha que o Rodrigo Maia vai ficar com Temer, podendo ser presidente da República, ainda que por três meses?

Temer vai renunciar?


foto Brasil 247

Temer
Em poucas horas o governo de Michel Temer veio abaixo e quanto mais ele demora para manifestar-se, mais drástica fica a situação dele. A demora pode resultar em sua saída à fórceps da Presidência da República. Temer foi flagrado em gravações, com autorização do Supremo Tribunal Federal e não por um juiz da 1a instância, estimulando a compra do silêncio do ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha.

Aécio
Aécio Neves agora é senador AFASTADO. A decisão é do Supremo Tribunal Federal. O político aparece em gravações, com autorização do Supremo Tribunal Federal e não por um juiz da 1a instância, pedindo R$ 2 milhões a empresários da JBS. A situação do senador afastado do PSDB é gravíssima, pois o dinheiro foi entregue a um primo de Aécio e o pior: os investigadores colocaram um rastreador e as notas estavam em sequencia.
O Ministério Público Federal quer a prisão do tucano, mas o ministro Edson Fachin
negou o pedido. A situação é similar a de Eduardo Cunha que foi afastado e depois preso. Tudo é explosivo neste momento.


Aécio 2

A irmã e principal conselheira do senador afastado, Andrea Neves da Cunha, já foi presa e o primo deles, Frederico Pacheco de Medeiros também. Outro das relações estreitas de Aécio que foi detido pela Polícia Federal é Mendherson Souza Lima, assessor do senador Zezé Perrella (PMDB-MG), o dono do tal helicóptero apreendido com mais de 400 kg de cocaína.

Os irmãos Joesley e Wesley Batista, que fizeram a delação, teriam sido ameaçados de morte e estão fora do país com autorização da justiça. Depois da misteriosa morte do ministro do STF Teori Zavask todo o cuidado é pouco.

Um detalhe sem maior importância é que ontem (17.05.17) fez dois meses que estourou a operação Carne Fraca, que colocou a JBS entre as empresas que maquiavam carne vencida.

O furo de reportagem, que trouxe à tona o escândalo é do jornalista de O Globo, Lauro Jardim

Modernização do trabalho rural ou escravidão?


Trabalhador rural- foto Sul 21

Tenho pensado muito no seu Pedro Haas Lacerda, o agricultor que trabalhou 29 anos em uma fazenda no interior de Rio Pardo, aqui no RS, sem nunca receber um centavo. Em tempos de reforma Trabalhista e da Previdência, parece-me muito adequado fazermos uma reflexão, principalmente sobre o Projeto de Lei do deputado federal Nilson Leitão (PSDB-MT), que muda a vida do trabalhador do campo para pior.


Pedro Hass Lacerda- foto SRTE

Pois o caso desse senhor, que veio à tona em dezembro de 2014, em matéria do Correio do Povo, está atualíssimo.
http://www.correiodopovo.com.br/Noticias/543980/Morador-de-Rio-Pardo-e-resgatado-do-trabalho-escravo-

No entendimento do patrão, nada mais justo que o seu Pedro pagar a moradia e a comida que recebia. Entenda-se por moradia um casebre caindo aos pedaços, sem banheiro, luz elétrica ou água potável. Para alimentação seu Pedro recebia arroz, feijão, óleo e farinha de mandioca; a carne era carcaça, patas, pescoço e cabeça de galinha.
Aos 67 anos, seu Pedro foi salvo pelo Ministério Público do Trabalho.


As condições da moradia do seu Pedro Hass Lacerda

Tá, esse é um caso de crueldade que raramente acontece. Não aposte nisso! O trabalhador rural tem uma vida duríssima e seus direitos foram reconhecidos há pouquíssimo tempo. Conheço um pouco essas relações de trabalho, porque meu avô materno foi tropeiro e peão de estância. Muitas vezes a esposa e os filhos trabalhavam na casa, mas só o marido recebia. Tenho um tio que é da lida, mas é mais atinado.

A proposta deixa o trabalhador rural tão vulnerável que, além de aluguel e comida, os descontos poderão incluir água, luz, lenha para o fogo, verduras da horta, frutas e sabe-se lá o que mais.

Aliás, na Expointer, até 2011, os empregados dormiam nas baias com os animais. Os criadores ficaram espantados com a atitude do Ministério Público do Trabalho que exigiu alojamentos para os tratadores. Entendiam que os funcionários não queriam se afastar dos animais. Por essa ótica, eles viveriam sempre nas cocheiras com os bichos.

Em um dos artigos, está claro que haverá remuneração, o que necessariamente não quer dizer salário:
Art. 3.º Empregado rural é toda pessoa física que, em propriedade rural ou prédio rústico, presta serviços de natureza não eventual a empregador rural ou agroindustrial, sob a dependência e subordinação deste e mediante salário ou remuneração de qualquer espécie.

Pela redação, entendo que a carga horária poderá ser de 13 horas:
Art. 5.º Em qualquer trabalho contínuo de duração superior a seis horas, será obrigatória a concessão de intervalo para repouso ou alimentação observados os usos e costumes da região, não se computando este intervalo na duração do trabalho. Entre duas jornadas de trabalho haverá um período mínimo de onze horas consecutivas para descanso.

E aqui, a intenção clara de cobrar aluguel e alimentação, vindo a ser o mesmo que pagar parte do salário do trabalhador com casa e comida:
Art. 16. Salvo as hipóteses de autorização legal ou decisão judiciária, só poderão ser descontadas do empregado rural as seguintes parcelas, calculadas sobre o salário mínimo:
I – até o limite de 20% (vinte por cento) pela ocupação da morada;
II – até o limite de 25% (vinte e cinco por cento) pelo fornecimento de alimentação sadia e farta, atendidos os preços vigentes na região;

Suspeito que o Projeto de Lei do deputado federal Nilson Leitão (PSDB-MT) é do século retrasado, e ele nem se constrange de apresentar, entre os motivos da proposta, o aumento dos lucros:
“Nestes termos, no intuito de prestigiar esse tão importante setor da economia brasileiro fomentando sua modernização e desenvolvimento; o aumento dos lucros e redução de custos e; gerar novos postos de trabalho, é que se propõe a alteração da Lei n.º 5.889/73”.

No link a íntegra do Projeto do deputado tucano Nilson Leitão:
www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=2116421