O tiro de Moro saiu pela culatra

Compartilhe este texto:

Lula carregado nos braços da multidão
Foto: Ricardo Stuckert/Divulgação

Por essa o juiz de Curitiba não esperava mesmo. Sérgio Moro teve tanta pressa em prender Lula que transformou sua decisão no maior ato político da esquerda, desde a eleição vitoriosa de Luiz Inácio Lula da Silva para a presidência da República.

Ao expedir o mandado de prisão do ex-presidente suprimindo os recursos que a defesa ainda tinha direito, o juiz sublinhou sua perseguição a Lula. Sequer esperou o trânsito em julgado do processo na segunda instância.

No despacho ele definiu que o recurso Embargos dos Embargos é uma “patologia protelatória que deveria ser eliminada do mundo jurídico”.

O que impressiona é Moro confirmar que o recurso existe, mas, como ele não concorda, o melhor é descartar. Assim como custuma fazer, independente da determinacao legal.

Aliás, parece que o juiz pouco se importa com regras. Quando divulgou uma conversa gravada da presidenta Dilma com Lula, infringiu normas de segurança nacional.

À época, a Advocacia Geral da União (AGU) declarou que o juiz desrespeitou a ordem legal: “Todos são iguais perante a lei e a lei vale para todos, mas a lei distingue situações para defender interesse público. O açodamento em divulgar informação em pouco tempo em um inquérito qualificou desrespeito à ordem legal”.

Essa angústia do magistrado em fazer as coisas conforme seu desejo já causou enorme constrangimento ao país. Uma nação que tem sua Constituição violada por quem deveria protegê-la não passa uma boa impressão ao mundo.

Será que foi o Lula que transformou sua prisão em ato político, como a mídia tradicional insistiu? Quem o condenou admitindo a ausência de provas? Quem mandou prendê-lo antes de acabarem os recursos da defesa?

A transformação da prisão do ex-presidente Lula em ato político foi só uma conseqüência, que Sérgio Moro esqueceu de prever.

Não seria difícil imaginar que militantes do PT, de outros partidos da esquerda e dirigentes de várias legendas estariam ao lado de Lula nesse momento de perseguição.

Sim, o maior líder político da esquerda na América Latina foi preso, mas ele saiu, novamente, nos braços do povo e isso ninguém apagará da história.

Fotos: divulgação Frente Brasil Popular


Compartilhe este texto:

One Reply to “O tiro de Moro saiu pela culatra”

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *