As indicações de Temer e a maré de sorte de Aécio


foto:Brasil 247

As escolhas de Michel Temer

O presidente escolheu para Procuradora-Geral da República Raquel Elias Ferreira Dodge. Qual a surpresa? É que ela foi a segunda candidata mais votada na lista tríplice e havia uma tradição, que começou com Lula, de indicar o escolhido pelos integrantes da Ministério Público Federal. O vitorioso foi o vice-procurador Eleitoral Nicolao Dino, mas ele pediu a cassação de Temer no TSE e é aliado do atual Procurador-Geral Rodrigo Janot, que denunciou o presidente por corrupção passiva e estabeleceu multa de R$10 milhões por danos coletivos. Alguém achou que seria o mais votado o escolhido?


foto: Band TV


Rodrigo Janot e Raquel Dodge
foto: Antônio Cruz, Agência Brasil

Parece que na cabeça do Temer a futura chefe do MPF Raquel Dodge tem poder para frear essas delações, pelo menos no que se refere a ele, até a eleição de 2018. Essa foi a impressão da população e dos parlamentares denunciados ou sob suspeita na Operação Lava Jato. Se segura o Temer, pode segurar uns quantos? E de esperar para ver!


Admar Gonzaga(em pé) e Tarcício Neto
foto: Brasil 247

Os ministros Admar Gonzaga e Tarcisio Vieira de Carvalho Neto, indicados por Temer para o Superior Tribunal Eleitoral, votaram contra a cassação do mandato do presidente.
Para que a maioria dos mortais não fique muito chocada com o que vem por aí, é bom lembrar que a sorte está com os que ocupam as primeiras fileiras da velha política.

A maré de sorte de Aécio


foto: jornalggm.com.br

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) quase foi para a cadeia, como a irmã Andrea Neves e o primo Frederico de Medeiros, mas virou o jogo nos acréscimos. Tirou o pé do xilindró e ainda conseguiu libertar os parentes. Foi afastado do cargo pelo STF, mas já retomou. A decisão saiu nesta sexta,30. E como a maré é de sorte para o tucano, o relator do inquérito 4392 será Alexandre de Moraes, que foi filiado ao PSDB até ingressar na Suprema Corte por indicação de Michel Temer. Cabe lembrar que Moraes era tucano de alta plumagem, pois foi ministro da Justiça de Temer e secretário da Justiça do governador Geraldo Alckmin (SP). Nessa ação Aécio Neves é acusado de corrupção passiva, lavagem de dinheiro, corrupção ativa, cartel e fraude a licitações, segundo os delatores da Odebrecht.


Foto: DCM

Mas a sorte de Aécio ainda não acabou. O inquérito 4444, em que é investigado por suposto recebimento ilegal de dinheiro da Odebrecht para sua campanha, o relator sorteado foi o Ministro do STF Gilmar Mendes. O magistrado está famoso pelas declarações inflamadas contra a Lava Jato e o Procurador-Geral Rodrigo Janot, que pediu a prisão de Aécio Neves.

Não entendo o promotor Dallagnol

Não entendo o procurador Dallangnol, quando ele diz que só investigaram o PT e aliados. Foi a explicação que ele deu ao Boechat, para a operação não pegar ninguém do PSDB, apesar de todas as denúncias dos delatores contra os cabeças do partido.

Então os desdobramentos da Lava Jato no RJ, inclusive com a prisão do ex-governador Sérgio Cabral e de quase todos os conselheiros do TCE, não vale?? Por essa lógica muitos crimes restariam impunes no país.

Na denúncia desta quinta-feira, 30, o MPF pede que o PP devolva à Petrobras R$ 2,3 bilhões. Mas e o “comandante máximo” da quadrilha desviou só R$ 3,7 milhões? Então o Lula montou tudo para os outros políticos pegarem essa dinheirama toda?

Sobrou pro “general”, cinco ou seis anos após deixar a presidência, um apartamento no Guarujá que nunca ficou pronto, e um sítio com dois pedalinhos no lago, que ele nem tinha a chave? Pedia pro caseiro.
Pronto, Falei!!!

Senadores que massacraram Fachin agora estão nas mãos dele

Os tucanos e outros senadores de oposição ao governo Dilma fizeram de tudo para derrubar a indicação do então advogado Luis Edson Fachin, para ministro do STF, na vaga de Joaquim Barbosa. Menos o paranaense Álvaro Dias(PSDB), presidente da CCJ, que fez campanha para a aprovação de Fachin.

A sabatina ocorrida em maio de 2015 teve momentos constrangedores, tal a agressividade dos questionamentos de alguns parlamentares. A arguição passou de 12 horas, sendo a mais demorada da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, em 20 anos.


foto Sul 21

Mas a roda girou e alguns daqueles políticos estão na lista do Janot. E agora?

Naquela época a operação estava com as baterias apontadas para o governo Dilma e os tucanos queriam saber o que ele achava da censura à imprensa, pensando em grandes revelações sobre a presidenta. Fachin disse:

“Não podemos ter censura em nenhuma hipótese”, enfatizou admitindo que acompanhou na imprensa muitas leituras sobre sua pessoa, muitas delas desabonatórias, mas que mesmo assim defende os princípios do Artigo 5º da Constituição, capítulo da Carta Magna que trata das garantias individuais.

Com base nessa resposta acho que o relator da lava-jato no Supremo vai abrir o sigilo de tudo e de todos.